parede tecnologia extractta

Quais as tendências de tecnologia que podem afetar seu negócio em 2019?

A transformação digital deve continuar como uma grande tendência em 2019. O termo transformação digital se refere ao uso de tecnologia digital para recriar um processo para ele se tornar mais eficiente e efetivo. Big data, computação na nuvem, internet das coisas (IoT ou Internet of Things, em inglês) e inteligência artificial são as tecnologias que estão em alta nesse momento de mudança e seguem como tendência de ferramentas estratégicas para as empresas para o próximo ano.

Mas não se trata apenas de tecnologia. Mudar os processos de negócio e a cultura corporativa são igualmente importantes para o sucesso dessas iniciativas. Diversas empresas projetam que 50% ou mais de sua receita virá do digital em 2020. O Fórum Econômico Mundial, por sua vez, estima que a transformação digital vai contribuir com mais de US$ 100 trilhões em valor para negócios e sociedade em 2025.

A ideia por trás da expressão transformação digital é o uso da tecnologia para transformar um serviço em algo significativamente melhor, e não apenas replicá-lo em um formato digital.

Com isso em mente, algumas avaliações apontam que 2019 será o ano de expansão do uso de análises preditivas, plataformas de inteligência artificial, redes de IoTs e chatbots. Essas análises, no entanto, não mostram um cenário muito diferente do que se apresentou já em 2018.

A Gartner, empresa norte-americana de pesquisa e consultoria na área de tecnologia, apresentou outras tendências que ela acredita que serão estratégicas de 2019 em diante, durante o Gartner Symposium/ITxpo, realizado em Orlando, na Flórida, em outubro.

“O futuro será caracterizado pelos aparelhos inteligentes capazes de entregar serviços digitais cada vez mais perspicazes em qualquer lugar”, disse David Cearley, vice-presidente da Gartner, durante o evento. “Nós chamamos isto de malha de inteligência artificial“.

No site da empresa, há uma explicação para esse termo:

“Inteligente: como a inteligência artificial está virtualmente em tudo de tecnológico que existe e criando categorias completamente novas

Digital: misturando os mundos digital e físico para criar um mundo imersivo

Malha: explorando conexões entre a expansão do conjunto de pessoas, empresas, dispositivos, conteúdos e serviços”


Com esse conceito, a empresa destacou dez tendências de tecnologias estratégicas para se ficar atento de 2019 em diante. Veja abaixo:

1. “Coisas” autônomas

Carros autônomos já chamam a atenção, mas “coisas” autônomas estão surgindo em todos os setores. Seja na terra, no ar, no mar ou no digital, funcionalidades autônomas poderão estreitar a distância entre humanos e máquina.

“Coisas” autônomas usam inteligência artificial para realizar tarefas tradicionalmente feitas por humanos. A sofisticação da inteligência varia, mas todas as coisas autônomas usam inteligência artificial para interagir mais naturalmente com seu ambiente.

Menos de 1% dos carros tem capacidade de direção autônoma hoje, mas a Gartner acredita que esse número deve subir para 10% até 2021.

2. Análises aumentadas

Cientistas de dados têm uma quantidade crescente de dados para preparar, analisar e agrupar, para então traçar conclusões. Dada a quantidade de dados, explorar todas as possibilidades se torna impossível. Isto significa que as empresas podem perder insights importantes.

Análises aumentadas (augmented analytics) representam a terceira maior onda das capacidades de análise de dados a partir do momento que cientistas de dados adotam algoritmos automatizados para explorar mais hipóteses. Plataformas de machine learning (aprendizado de máquina) e data science transformaram como os negócios geram insights analíticos.

Análises aumentadas identificam padrões escondidos enquanto removem o viés pessoal.

3. Desenvolvimento de inteligência artificial

A Gartner acredita que a inteligência artificial se tornará cada vez mais parte de um negócio e que poderá impactar no desenvolvimento de processos.

“O mercado irá mudar do foco de cientistas de dados como parceiros dos desenvolvedores para desenvolvedores operando independentemente usando modelos pré-definidos entregue como um serviço”, diz a empresa.

4. Gêmeo digital

Gêmeo digital ou representação digital de algo do mundo real está em expansão nas empresas.

Tradicionalmente, gêmeos digitais estão conectados a manutenção e confiabilidade da máquina. Mas com o avanço da tecnologia, empresas serão capazes de usar o gêmeo digital para processos e otimização de ativos.

Segundo a Gartner, modelos de software ainda poderão oferecer uma visão dinâmica da empresa usando dados para “compreender seu estado, respondendo a mudanças, melhorando operações e acrescentando valor”.

5. “Borda” valorizada

Edge computing (ou computação de borda, em tradução livre) é uma topologia onde processamento de informação, coleta de dados e entrega são colocados próximos às fontes de informação com a ideia de que manter o tráfego local reduzirá a latência.

Por volta de 2028, Gartner espera um crescimento estável de inteligência artificial avançada em sensores, armazenamento, computação em aparelhos de borda.

Em geral, inteligência vai se mover em direção a uma variedade de aparelhos de borda, de equipamentos industriais a smartphones e geradores de energia automotiva.

6. Tecnologias imersivas

Tecnologias de realidade aumentada (AR), realidade mista (MR) e realidade virtual (VR) apresentam potencial para aumentar a produtividade, com a próxima geração de VR capaz de detectar formas e rastrear a posição do usuário e a MR permitindo que as pessoas vejam e interajam com seu mundo.

Em 2022, 70% das empresas deverá experimentar tecnologias imersivas para o consumidor e para o uso da empresa, e 25% deverá utilizar para produção.

O futuro das plataformas conversacionais, que envolvem assistentes virtuais a chatbots, irá incorporar canais sensoriais que permitirão à plataforma detectar emoções baseadas em expressões faciais. Além disso, a plataforma se tornará mais natural nas interações.

7. Blockchain

Blockchain tem potencial para reduzir custos, tempo de transação e aumentar o fluxo de dinheiro. Mas a tecnologia também inspira soluções que utilizam alguns dos benefícios e partes do blockchain.

Modelos puros de blockchain são imaturos e difíceis de serem escaláveis. Por outro lado, abordagens inspiradas em blockchain que não implementam todos os princípios da tecnologia fornecem valor de curto prazo, mas não fornecem os prometidos modelos de consenso descentralizados altamente distribuídos de um blockchain puro.

8. Espaços inteligentes

Um espaço inteligente é um ambiente digital e físico em que humanos e sistemas habilitados por tecnologia interagem em ecossistemas cada vez mais abertos, conectados, coordenados e inteligentes.

A medida que a tecnologia se torna mais integrada a vida cotidiana, espaços inteligentes passarão por um período de aceleração.

O principal exemplo de espaços inteligentes são as cidades inteligentes, onde áreas que combinam comunidades de negócios, moradia e indústria estão sendo desenhados usando estruturas de ecossistema urbano inteligente com todos os setores ligados a colaboração comunitária e social.

9. Privacidade e ética digital

Os consumidores têm consciência crescente do valor de seus dados pessoais, e eles estão cada vez mais preocupados sobre como seus dados são usados por entidades públicas e privadas. Empresas que não prestarem atenção nisso correm o risco de perder clientes.

Companhias devem ganhar e manter a confiança com o consumidor para ser bem-sucedido. Eles devem também seguir valores internos para assegurar que os clientes os vejam como confiáveis.

10. Computação quântica

Computadores quânticos são exponencialmente escaláveis e altamente paralelo ao modelo computacional. Uma maneira de imaginar a diferença entre computadores tradicionais e quânticos é imaginar uma biblioteca gigante de livros.

Enquanto um computador clássico pode ler cada livro de uma biblioteca em uma sequência linear, um computador quântico poderá ler todos os livros simultaneamente. Computadores quânticos são capazes de, na teoria, fazer o trabalho de milhões de computadores tradicionais simultaneamente.

A computação quântica poderia transformar algumas indústrias. Sua aplicação no mundo real vai da medicina personalizada a otimização de padrões de reconhecimento.

A tecnologia ainda está em estágio emergente, o que significa que é um bom momento para empresas ampliarem sua compreensão para utilização potencial e considerar cada implicação na segurança.

 

FONTES

Aim Consulting

CIO

CIO Dive

Exame

Gartner

ZD Net

World Economic Forum

Post criado 23

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo