iot e seguro de carros - imagem ilustrativa
IoT

Dados do carro “entregam” motorista e podem tornar seguro mais barato e personalizado

Como contar com um seguro de carro com preço adequado para o estilo de direção e os riscos enfrentados pelo motorista? Um aparelho inteligente instalado no veículo pode ser a resposta. O emprego de IoT (Internet of Things ou internet das coisas, em português) é o desafio atual das fabricantes de veículos e das companhias de seguros.

Durante anos, as seguradoras usaram dados que não necessariamente correspondiam às habilidades de direção do motorista para estipular o valor do seguro. Também usavam informações que não estavam sob “controle” do motorista, como gênero e idade. Companhias que usavam apenas este tipo de dados para avaliar riscos e determinar os valores do seguro não seriam capazes de reduzir custos ou oferecer produtos e serviços relevantes para seus consumidores. Com o desenvolvimento da tecnologia e dos IoTs esse cenário está mudando.

O UBI (usage-based insurance ou seguro baseado no uso) tem sido uma opção para resolver esse problema ao monitorar o comportamento de direção do motorista em tempo real com o consentimento dele.

Para que isso ocorra, companhias de seguro instalam IoT no veículo do segurado e passam a receber dados.

Os IoTs podem gravar dados como velocidade do carro, distância percorrida, período de uso no dia, índices de aceleração e uso do freio.

Com isso, as companhias de seguro podem recompensar motoristas prudentes com taxas menores. Os consumidores ainda podem ter como benefícios a maior transparência sobre o custo do seu seguro e receber ofertas personalizadas.

Há defensores desse tipo de tecnologia que afirmam que o uso de IoT ajuda a pessoa a se tornar um motorista melhor, mas não há como comprovar com facilidade tal afirmação.

Também se fala do efeito psicológico do uso desse tipo de equipamento, pois o motorista saberia que pode pagar taxas menores de seguro de acordo com o uso que ele faz do veículo.

As companhias, por sua vez, podem ter uma melhor análise de risco. Mas os benefícios vão além disso. Em casos de acidentes, por exemplo, dados obtidos ajudariam a determinar a culpa em situações que haja conflito entre motoristas e testemunhas.

Ter informação sobre velocidade, momento em que o freio foi acionado e outros dados importantes antes de um acidente pode ajudar as companhias de seguro e a polícia a determinar o responsável pelo ocorrido.

Pesquisas apontam que clientes, em especial os millenials (pessoas nascidas após 2000), têm se interessado em contratar esse tipo de serviço. Por isso, seguradoras que buscaram investimento para implementar produtos com esse tipo de tecnologia podem obter uma importante vantagem competitiva no mercado.

 

FONTES

Digitalist Magazine

Get Connected Blog

Segs

Post criado 23

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo