fraude e-commerce big data Extractta

Big data ajuda a combater fraudes no comércio e nas empresas

O combate à fraude pode ser uma das possibilidades para a utilização de big data. Ferramentas tecnológicas podem ser empregadas para detectar compras fraudulentas no e-commerce ou anomalias financeiras na empresa.

No e-commerce, fraudes trazem prejuízo para o cliente e para a loja. Segundo um estudo realizado pela Konduto, empresa de sistemas antifraude, o e-commerce brasileiro sofreu uma tentativa de fraude a cada cinco segundos ao longo de 2017. Foram analisados 40 milhões de transações ao longo do ano passado.

Acredita-se que cerca de 3,8% das transações on-line no país sejam de origem criminosa feitas com cartões de crédito clonados.

Para evitar prejuízos, tanto para o cliente quanto para a empresa, é importante investir em um filtro de fraude eficaz para o funil de vendas. Ele deve ser eficiente para evitar fraudes, mas não restritivo a ponto de fazer perder boas vendas.

Ferramentas de big data contribuem para coletar e analisar dados de milhares de transações. Desta forma, é possível elaborar um perfil de comportamento dos clientes e também de fraudadores. Assim, a empresa é capaz de elaborar um plano de gerenciamento de fraude.

Com uma solução que seja capaz de trabalhar com um grande volume de dados, é possível fazer análises que apontem para tendências de fraude, mesmo que elas estejam em seu início.

Com os dados que a empresa possui e de fontes externas, é possível detectar fraudes no seu segmento, em outros mercados e em diferentes espaços geográficos.

Além disso, o comerciante poderá ter claro padrões de comportamento dentro de sua base de clientes.

No entanto, é preciso que o sistema de gerenciamento de fraude tenha atualização constante para não perder sua eficácia.

O uso de machine learning completa o sistema, pois pode reconhecer padrões para transações genuínas e fraudulentas. Se corretamente “treinados”, os modelos de machine learning podem bloquear fraudes nos bastidores, de forma invisível para compradores, sem prejuízo para as taxas de conversão.

Em auditorias internas de empresas, o big data também pode contribuir no combate a fraudes. Empresas que usam a tecnologia em sua apuração interna apontam como principal vantagem a possibilidade de obter uma visão em tempo real dos riscos organizacionais e de realizar pré-auditorias baseadas em risco, segundo levantamento global realizado pela consultoria Protiviti.

Segundo o estudo, o big data tem sido usado na busca por anomalias financeiras, como, por exemplo, o controle da alçada em pedidos de compras, duplicidade, pagamentos em desacordo com critérios contratuais, revisão da folha de pagamentos, entre outros.

Segundo a Protiviti, as áreas de auditorias de bancos, hospitais e empresas de telecom apresentam maior propensão para utilizar os recursos do big data.

O levantamento de 2017 foi realizado com 906 auditores de diversas empresas.

 

FONTES

CNSeg

E-commerce Brasil

E-commerce News

Época Negócios

IT Forum 365

Novarejo

Post criado 19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo